II Encontro Brasileiro de Mulheres Viajantes: bora?

II Encontro Brasileiro de Mulheres Viajantes: bora?

Hey, você, mulher que curte viajar. Já pensou passar dois dias num evento que pode transformar a maneira que você encara as viagens? Então você precisa participar do II Encontro Brasileiro de Mulheres Viajantes que acontecerá na cidade de São Paulo.

Pra quem não sabe, em abril de 2019 rolou o I Encontro Brasileiro de Mulheres Viajantes no Hotel Leques. O evento foi um sucesso e eu até contei aqui como foi minha experiência!

Neste ano, o encontro acontecerá nos dias 07 e 08 de março no Teatro Santo Agostinho (que presentão de Dia Internacional da Mulher, não é mesmo?). Alguns nomes de palestrantes já foram anunciados, assim como alguns dos temas que farão parte da programação: dicas para ajudar a organizar a viagem, histórias de mulheres para se inspirar, formas de ganhar dinheiro com viagem, nomadismo digital… tenho certeza que assunto não vai faltar!

Além de aprender muito nestes dois dias, o evento proporciona ao público uma ótima oportunidade de aumentar o network e conhecer pessoas que partilham da mesma paixão: viajar! Se você tem medo de viajar sozinha, esta é sua chance de fazer novas amizades e, quem sabe, conhecer companhia para seus próximos passeios.

Quer saber mais sobre o evento? Então clique aqui para ver todas as informações e aproveite para já garantir o seu ingresso! (E comprando pelo meu link você me ajuda a continuar te ajudando).

Bora se conectar com esta mulherada viajante ou vai querer ficar de fora desta?

II Encontro Brasileiro de Mulheres Viajantes Teatro Santo Agostinho – Rua Apeninos, 118 (Próximo à estação Vergueiro do metrô) Informações e ingressos aqui

On the Road – Peru – Day 3 – Huaraz (a chegada)

Manhã se segunda-feira parece um filme de terror na vida de grande parte desta sociedade, não é mesmo? Porém, quando estamos de férias a situação muda completamente, ainda mais se a sua segunda te reserva uma tão esperada viagem para Huaraz!

A caminho de Huaraz – foto by Évelin Karen

Após um domingo super agitado no meu tour Ica – Paracas, acordei antes do despertador tocar e as 07:30 já estava na rua, “no pique da Globo”, tentando achar um lugar legal pra tomar café e uma casa de câmbio aberta. Aproveitei para dar uma volta tranquilamente pelas ruas de Miraflores e pude constatar que o comércio abre apenas após as 9, por isso tive que enrolar e esperar os lugares abrirem pra conseguir resolver minha vida.

Antes de sair do hostel eu abri as mensagens do grupo Peru do Whatsapp e li sobre um acidente que tinha acontecido naquela noite na estrada para Huaraz deixando dezenas de mortos. Confesso que fiquei bem assustada, considerando que no sábado tinha acontecido o acidente nos tubulares e algumas semanas antes um acidente envolvendo dois trens que fazem o trajeto pra Águas Calientes (Machu Picchu). Parecia que a bruxa estava solta e rondando por ali.

De volta no Hostel fiz meu check out, chamei um Uber e fui para a rodoviária da Línea que me levaria para a cidade de Huaraz. Pelo que vi, por ali não existem muitas rodoviárias com ônibus de várias empresas. Por isso é comum cada ônibus sair da garagem da empresa que ele pertence. Eu escolhi a Línea porque tinha lido a respeito na internet e não tinha encontrado reclamações nos blogs que pesquisei. Como vi que alguns viajantes recomendavam e o valor da passagem estava barato (30 soles) acabei comprando pela internet mesmo e com cerca de um mês de antecedência o que me garantiu o assento da frente que fica ao lado da janela, ou seja, viajei de camarote!

A rainha do camarote – Foto by Évelin Karen

Despachei minha bagagem, aguardei alguns minutos e embarquei para a tão esperada Huaraz. Fazia mais um dia bem cinzento em Lima. Como pesquisei um pouco antes de escolher meu destino, decidi viajar durante o dia para ver as paisagens que o caminho me oferecia. Mas pra sair da rodoviária o que encontrei foi muito trânsito!

Acho que meu ônibus saiu da rodoviárias às 11:00. Paramos apenas uma vez por volta das 15:00 para utilizar os sanitários e almoçar. Não tive coragem de comer nada, então fiquei só no sorvetinho. Voltamos pro ônibus e pude ver, cada vez mais de perto, as beleza da Cordilheira Branca.

Paisagens do caminho – Huaraz Peru – Foto by Évelin Karen
Um belo fim de tarde na estrada – Foto by Évelin Karen

Por volta das 19:00 chegamos em Huaraz. Só tirei minha bagagem do ônibus e na calçada já encontrei com a pessoa que me levou pro hostel. Fiquei hospedada no Artesonraju Hostel e fechei meus passeios com a agência Scheler Trekking (na verdade o Scheler é o dono do hostel, então tudo ficou mais fácil rs). Antes de escolher vi dezenas de comentários de brasileiros falando super bem da agência do Scheler, então isso ajudou bastante na hora da escolha.

Finally Huaraz – Foto by Évelin Karen

Fiquei num quarto privado com banheiro e achei muito maravilhosa a relação custo x benefício. As instalações eram limpas, bem conservadas, TV com TV a cabo (pra escutar uma musiquinha no fim do dia), chuveiro quentinho, cama de casal com edredom quentinho e cobertores. Super atendeu as minhas expectativas.

Artesonraju Hostel – Foto by Évelin Karen
Mais um pouco da minha suíte master – Foto by Évelin Karen

Fiz check in, fechei meus passeios dos próximos dias (Laguna Paron, Glacier Pastoruri e Laguna 69), sai pra comprar meu jantar (pollo com papas fritas y ensalada), tomei um banho e dormi, pois meus próximos dias seriam recheados de aventura na Cordilheira Branca.
No próximo post conto como foi meu primeiro passeio: Laguna Paron!