On the Road – Peru – Day 3 – Huaraz (a chegada)

Manhã se segunda-feira parece um filme de terror na vida de grande parte desta sociedade, não é mesmo? Porém, quando estamos de férias a situação muda completamente, ainda mais se a sua segunda te reserva uma tão esperada viagem para Huaraz!

A caminho de Huaraz – foto by Évelin Karen

Após um domingo super agitado no meu tour Ica – Paracas, acordei antes do despertador tocar e as 07:30 já estava na rua, “no pique da Globo”, tentando achar um lugar legal pra tomar café e uma casa de câmbio aberta. Aproveitei para dar uma volta tranquilamente pelas ruas de Miraflores e pude constatar que o comércio abre apenas após as 9, por isso tive que enrolar e esperar os lugares abrirem pra conseguir resolver minha vida.

Antes de sair do hostel eu abri as mensagens do grupo Peru do Whatsapp e li sobre um acidente que tinha acontecido naquela noite na estrada para Huaraz deixando dezenas de mortos. Confesso que fiquei bem assustada, considerando que no sábado tinha acontecido o acidente nos tubulares e algumas semanas antes um acidente envolvendo dois trens que fazem o trajeto pra Águas Calientes (Machu Picchu). Parecia que a bruxa estava solta e rondando por ali.

De volta no Hostel fiz meu check out, chamei um Uber e fui para a rodoviária da Línea que me levaria para a cidade de Huaraz. Pelo que vi, por ali não existem muitas rodoviárias com ônibus de várias empresas. Por isso é comum cada ônibus sair da garagem da empresa que ele pertence. Eu escolhi a Línea porque tinha lido a respeito na internet e não tinha encontrado reclamações nos blogs que pesquisei. Como vi que alguns viajantes recomendavam e o valor da passagem estava barato (30 soles) acabei comprando pela internet mesmo e com cerca de um mês de antecedência o que me garantiu o assento da frente que fica ao lado da janela, ou seja, viajei de camarote!

A rainha do camarote – Foto by Évelin Karen

Despachei minha bagagem, aguardei alguns minutos e embarquei para a tão esperada Huaraz. Fazia mais um dia bem cinzento em Lima. Como pesquisei um pouco antes de escolher meu destino, decidi viajar durante o dia para ver as paisagens que o caminho me oferecia. Mas pra sair da rodoviária o que encontrei foi muito trânsito!

Acho que meu ônibus saiu da rodoviárias às 11:00. Paramos apenas uma vez por volta das 15:00 para utilizar os sanitários e almoçar. Não tive coragem de comer nada, então fiquei só no sorvetinho. Voltamos pro ônibus e pude ver, cada vez mais de perto, as beleza da Cordilheira Branca.

Paisagens do caminho – Huaraz Peru – Foto by Évelin Karen
Um belo fim de tarde na estrada – Foto by Évelin Karen

Por volta das 19:00 chegamos em Huaraz. Só tirei minha bagagem do ônibus e na calçada já encontrei com a pessoa que me levou pro hostel. Fiquei hospedada no Artesonraju Hostel e fechei meus passeios com a agência Scheler Trekking (na verdade o Scheler é o dono do hostel, então tudo ficou mais fácil rs). Antes de escolher vi dezenas de comentários de brasileiros falando super bem da agência do Scheler, então isso ajudou bastante na hora da escolha.

Finally Huaraz – Foto by Évelin Karen

Fiquei num quarto privado com banheiro e achei muito maravilhosa a relação custo x benefício. As instalações eram limpas, bem conservadas, TV com TV a cabo (pra escutar uma musiquinha no fim do dia), chuveiro quentinho, cama de casal com edredom quentinho e cobertores. Super atendeu as minhas expectativas.

Artesonraju Hostel – Foto by Évelin Karen
Mais um pouco da minha suíte master – Foto by Évelin Karen

Fiz check in, fechei meus passeios dos próximos dias (Laguna Paron, Glacier Pastoruri e Laguna 69), sai pra comprar meu jantar (pollo com papas fritas y ensalada), tomei um banho e dormi, pois meus próximos dias seriam recheados de aventura na Cordilheira Branca.
No próximo post conto como foi meu primeiro passeio: Laguna Paron!

Anúncios

On the road – Bahia Parte 1 – City Tour

Sorria, você está na Bahia!!!

Pois é, desta vez (2015) o destino escolhido para curtir as férias com meus pais foi o litoral baiano, mais precisamente a cidade de Salvador. Chegamos na tarde de quinta feira e fizemos check in no hotel Bahia Mar que foi nossa casa durante uma semana. O que dizer sobre nossa estadia? Simplesmente ótima. Quartos e banheiros espaçosos, chuveiro bom, ar condicionado e um ótimo café da manhã com direito a tapioca pra quem gosta. A única coisa que eu pontuaria como ruim é o funcionamento do wifi que deixa muiiiiito a desejar. 

Vista do Hotel Bahia Mar Salvador – Foto by Evelin Karen

Nos nossos dois primeiros dias de viagem resolvemos apenas curtir o hotel (e eu curti só a cama). Como eu tinha acabado de chegar da minha outra viagem e ainda estava lutando contra a intoxicação alimentar resolvi aproveitar o ócio e deixar a fraqueza tomar conta. Dormi praticamente o dia e a noite inteira. Só levantei para fazer as refeições e não me arrependo nem um pouco disso.

Já no terceiro dia fizemos o city tour histórico e panorâmico. A primeira parada foi o Farol da Barra, um dos cartões postais da cidade de Salvador.

Turistando em Salvador – Foto by Évelin Karen
Farol da Barra Salvador – Foto by Évelin Karen

Passamos pelos principais pontos da cidade e também pela cobertura da Ivete Sangalo e o estádio Arena Fonte Nova. A próxima parada foi a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, conhecida pelas famosas fitinhas coloridas. Ao descer do ônibus somos assediados por vários ambulantes que nos oferecem uma fitinha como presente. Esta deve ser amarrada no pulso ou na grade da igreja enquanto fazemos um pedido. Diz a lenda que quando a fita se solta o pedido é realizado (agora que eu lembrei que dei uns dez nós na minha… Hunf).

Arena Fonte Nova Salvador – Foto by Évelin Karen
Igreja de Nosso Senhor do Bonfim Salvador – Foto by Évelin Karen
Eve e as fitinhas do Senhor do Bonfim – Foto by mamis

A próxima parada foi no Elevador Lacerda/ Pelourinho. Neste momento, o relógio já marcava 11 horas e o sol brilhava muito forte. A fraqueza começou a bater de novo e por isso acabei não vendo o projeto Olodum, pois resolvi ficar no restaurante onde iríamos encontrar o grupo.

Elevador Lacerda Salvador – Foto by Évelin Karen
Pelas ruas do Pelourinho Salvador – Foto by Évelin Karen

Depois de um almoço não muito gostoso visitamos a Igreja de São Francisco que é super “jogada no ouro”. Uma bela construção com muitos traços da arte barroca e com diversas obras de arte no teto que trazem uma perspectiva a la 3D. Eu fiquei de queixo caído com este teto!

Igreja São Francisco Salvador – Foto by Évelin Karen
Puro ouro na Igreja de São Francisco em Salvador – Foto by Évelin Karen

Como em todo city tour, a última parada ficou reservada para que as pessoas consumistas comprassem as famosas lembrancinhas no Mercadão da cidade. Eu me rendi e acabei comprando um turbante liiiiiiindo! Na saída fiz gordice e comprei uma deliciosa caixinha de cocada vendida pelas baianas que ficam na porta do mercado.

Fim de tarde Em Salvador – Foto by Évelin Karen

Foi um dia bastante cansativo e a noite só conseguimos comer uma tranqueirinha para dormir e encarar o próximo dia de passeios pela Praia do Forte (com direito a belas paisagens e acidente de percurso). Mas estas histórias ficarão para o próximo post.