On The Road – Peru Day 2: Ica, Paracas, Huacachina – Uma grande surpresa

On The Road – Peru Day 2: Ica, Paracas, Huacachina – Uma grande surpresa

O relógio marcava 05:30 da matina e eu já estava prontinha, em frente ao Larcomar, esperando para embarcar no meu tão esperado tour Paracas/ Ica. Este era um dos passeios que eu mais queria fazer na minha viagem e já sabia que seria corrido, longo, cansativo, mas que no final valeria a pena.

Escolhi a agência Viajes Picaflor, pois tinha lido uma recomendação em outro blog. Paguei 135 soles pelo meu passeio (o certo seria 165, mas não rolou o passeio de tubulares devido a um acidente que aconteceu na véspera do meu tour e vitimou uma pessoa). No valor do passeio está incluso um lanchinho (biscoitinho e suco de pêssego).

Lanchinho da manhã – Foto by Évelin Karen

Mesmo embarcando super cedo eu queria ficar acordada para ver todas as paisagens possíveis. Logo no início percorremos um trecho beirando a costa e percebi uma grande quantidade de lixo e entulho na estrada e até mesmo na areia de algumas praias. Confesso que fiquei bastante impressionada.

Em algum lugar do Pacífico – Foto by Évelin Karen

Por volta das 9 da manhã chegamos em Pisco e o guia Joel nos contou o significado de Paracas: chuva de areia! Parece que a tarde o vento levanta a areia de uma forma que parece uma tempestade de areia.
Então foi hora de embarcar no barquinho que nos levaria até famosa Islas Ballestras.

A embarcação não é coberta, por isso se você é uma pessoa prevenida deve levar casaco (se possível corta vento), capa de chuva, assim como protetor solar (eu fui num dia nublado, mas tenho fé que existem dias ensolarados na costa peruana).

Desbravando o Pacífico – Foto by Guia

Juro que eu fiquei impressionada com a quantidade de vida que existe no meio do oceano Pacífico. Infelizmente as fotos não conseguem mostrar como é de fato este lugar, mas na minha cabeça guardo esta memória incrível. Eram muitas, muitas, MUITAS espécies de pássaros, lobos marinhos, pinguins… parecia um grande viveiro de animais, então imagine o mau cheiro! A dica é: não coma antes de embarcar no barquinho (ou poderá rolar muita ânsia e enjoo no seu passeio).

Islas Ballestras – Foto by Évelin Karen
Islas Ballestras – Foto by Évelin Karen

Neste passeio também tive uma rápida aula de biologia. Você sabia que o pinguim tem uma parceira durante a vida toda enquanto o lobo marinho é um garanhão que pega geral? Isso foi o guia quem contou (Eve também é cultura!).

Islas Ballestras – Foto by Évelin Karen

E o Candelabro? Passamos por este famoso cartão postal também!

El Candelabro – Foto by Évelin Karen

Voltando do barquinho tivemos uma rápida degustação das famosas choconetas (doce típico da região que parece uma trufa) e voltamos para a van. Desta vez, nosso destino era o restaurante Neto, onde almoçamos (comi pollo, papas fritas e minha primeira Inca Cola) e fizemos um delicioso tour de Pisco a tarde (experimentamos mais de 6 tipos de pisco: perfecto amor, borbonha, gran rose, pisco puro, crema de pisco e nesta hora parei de anotar rs).

Mi almuerzo – Foto by Évelin Karen
Tomando “bons piscos” – Foto by Évelin Karen
Produção de Pisco – Foto by Évelin Karen

Voltamos para a van e nosso último destino foi o oásis em Huacachina. Foi uma pena não rolar os tubulares, mas mesmo assim consegui curtir o passeio. Juro que me senti no Saara, principalmente quando eu via aquelas sombras que subiam as dunas. Outra imagem linda que não sai da minha cabeça e que nenhuma foto consegue ilustrar.

Huacachina – Foto by Évelin Karen
Huacachina – Foto by Évelin Karen
Huacachina – Foto by Évelin Karen

É claro que conheci brasileiros neste dia (assim como em todos os outros passeios). A Débora e a Kenia são do RS, enquanto o Licoln e o João são do RJ. Quatro pessoas sensacionais que tornaram meu passeio mais divertido, seja me fazendo de “lixo de pisco”, ou me fazendo rir dos capotes no sandboard. Aliás, não fiz sandboard porque estava com medo de me machucar no começo da viagem e não aproveitar nada, por isso Huacachina pra mim foi um passeio contemplativo.

 Migos, seus loucos – Foto by Évelin Karen
Admirando Huacachina – Foto by Lincoln

Depois de descarregar os kg de areia que eu trouxe no tênis, parei em uma banquinha, comprei uma Lays de Pollo suuuuper salgada, voltei pra van e voltamos pra Lima. Chegamos pouco depois das 22:00, desci no mesmo ponto do embarque e já passei no Shopping Larcomar para comprar meu jantar. Voltei para o hostel com a sensação de missão cumprida. Tomei banho, ajeitei minhas coisas e fui dormir, pois no dia seguinte embarcaria de manhã para Huaraz (meu segundo destino mais desejado desta viagem). Nunca ouviu falar sobre Huaraz? Então não perca meu próximo post!

Anúncios