On The Road – Peru Day 1: Lima – Expectativa x Realidade

Quem me segue no Instagram acompanhou pelos stories um pouco da minha saga no Peru. Foram 12 dias bastante intensos desbravando as terras peruanas (e não deu pra conhecer nem um vinte cinco avos dos encantos deste país). Agora compartilharei com vocês aqui no blog um pouco desta minha viagem inesquecível. Aproveitem para salvar várias dicas!!!

Iglesia de San Francisco – Foto by amigo instantâneo que não lembro o nome

A chegada – 11/08 – Day 1

Expectativa: voo Avianca saindo de SP às 05:55 e previsão de chegada em Lima às 08:50. Deixar malas no hostel, fazer câmbio em Miraflores, comprar o passeio de domingo e realizar o city tour Lima na parte da tarde.

Realidade: o voo saiu do Brasil com 2 horas de atraso. Durante o taxeamento da aeronave uma senhora se sentiu mal e foi socorrida pelos comissários de bordo e posteriormente por uma médica que estava no avião, constatando que era melhor a senhora não seguir viagem. Resultado: a aeronave teve que retornar, a passageira desembarcou, os funcionários tiveram que localizar a bagagem da família e só então seguimos viagem.

Cordilheira dos Andes – Foto by Évelin Karen

O desembarque em Lima foi perto das 12:00. Não enfrentei fila na alfândega, recolhi minha mala e fui ao balcão de turismo que fica na saída do Duty Free de Lima. Questionei ao funcionário até que horas as casas de câmbio em Miraflores ficavam abertas (uma vez que era sábado e eu só estava com reais). A pessoa me respondeu que as casas de câmbio só ficavam abertas até no máximo às 13:00 em dias de sábado. Resultado: acabei trocando mais dinheiro do que queria na casa de câmbio do aeroporto. A cotação foi 0,75 + impostos (pior cotação que eu peguei durante a viagem). ATENÇÃO: esta informação que obtive sobre horário de funcionamento das casas de câmbio é falsa, pois durante a tarde consegui trocar dinheiro em Miraflores tranquilamente.

Soles na na carteira, chegou a hora de me desclocar para Miraflores. Decidi utilizar o Airport Bus e paguei 48 soles ida e volta. Pra mim foi vantagem, pois estava viajando sozinha e um Uber sairia mais caro. O ônibus tem Wi-fi e atendeu minhas expectativas, já que me deixava pertinho do hostel. Dica: tire uma foto do seu bilhete, pois tanta coisa pode acontecer até o dia do seu retorno… se você perder o papel é só mostrar a foto pra embarcar que está tudo certo!

Ticket Airport Express Lima – Foto by Évelin Karen

Escolhi me hospedar no Hostel Larcomar. O lugar é bem simples, mas peguei um quarto privativo com banheiro compartilhado por um preço ok (132 soles por 2 diárias). A internet funcionava, o quarto era limpo e arrumadinho e quanto ao café da manhã não posso opinar porque não consumi. Localização ótima: rua tranquila e sem ônibus e carros buzinando loucamente (o que é muito comum no Peru), além de ficar próximo ao shopping Larcomar e do Parque Kennedy. Fiz check in antes das 14:00 e tive que aguardar apenas alguns minutinhos enquanto a Mirta arrumava meu quarto. Conversei um pouco com o Miguel que me ajudou bastante ao ligar na agência onde fechei meu passeio de domingo e me orientar sobre o city tour que sai do Parque Kennedy.

Dexei minha bagagem no hostel e corri para comprar meu passeio do dia seguinte: o tour fullday Ica – Paracas. Fui direto na agência Viajes Picaflor, pois já tinha pesquisado no Brasil e sabia que compensava fechar o passeio com eles. Paguei 135 soles (o certo seria 165, porém no dia que eu fui eles não estavam realizando os passeios nos tubulares, devido a morte de um turista em um acidente na atração) #puxado

Depois de comprar meu passeio vi que não teria tempo de embarcar no city tour, então resolvi procurar casas de câmbio, comprar suprimentos e fazer o reconhecimento do terreno. Vi várias casas de câmbio abertas, perguntei o valor do câmbio e é claro que estava melhor que no aeroporto. Troquei dinheiro por 0,78, comprei água e guloseimas, dei uma volta pelo Parque Kennedy, fiz fotos e entrei na Iglesia Virgen Milagrosa de Miraflores. Também passei na frente do Pariwana e do Flying Dog (dois hostels que cogitei me hospedar) e vi que eles ficavam bem no olho do furacão.

Iglesia Virgen Milagrosa de Miraflores – Foto by Évelin Karen
Iglesia Virgen Milagrosa de Miraflores – Foto by Évelin Karen
Parque Kennedy – Foto by Évelin Karen

Voltei para o hostel e depois de um banho foi hora de conhecer o famoso Shopping Larcomar e procurar um restaurante para almojantar. Em localização privilegiada, o shopping conta com diversas lojas de marcas conhecidas internacionalmente, além de uma vista para o oceano Pacífico de encher os olhos (e o celular de belas fotos). Pude ficar no mirante olhando aquele marzão do Pacífico, com ondas fortes indo e vindo num dia cinza. Senti aquela paz que só o mar consegue me dar.

Shopping Larcomar – Foto by Évelin Karen
Vista do oceano Pacífico – Lima – Foto by Évelin Karen

Finalmente sentei pra jantar no restaurante Pardos Chicken. Não sou de experimentar comidas novas, então comi um frango com batatas douradas e legumes cozidos. Tomei uma Cusqueña para inaugurar os trabalhos peruanos (e paguei caríssimos 11 soles numa garrafinha a la long neck). Consegui uma mesa de frente pro mar e achei que valeu a pena os quase 40 soles investidos no jantar.

 Jantarzinho no Pardos Chicken – Foto by Évelin Karen

Hora de voltar, admirar mais um pouco o mar durante a noite. No caminho parei numa bomboniere para comprar alguns chocolates (pois adoro comer chocolates de marcas conhecidas que não são vendidos no Brasil). No hostel tomei um chá Vicky porque espirrava, nariz escorria e parecia que eu ia ficar gripada. Dormi antes das 21:00, pois no dia seguinte as 05:30 saia meu tour Ica/ Paracas/ Huacachina o qual falarei no próximo post.

Anúncios

Deixe uma resposta